A Princesa do Ar, por Amanda Steilein

Oi, gente! Gostaria de compartilhar com vocês o novo livro no qual estou trabalhando: A Princesa do Ar. Ele não está concluído ainda, por isso estou postando alguns capítulos dele no Wattpad porque gostaria muito da opinião de vocês em relação a história. Seus votos e comentários significam muito pra mim <3

SINOPSE
Há muito tempo, o Reino do Ar foi devastado por um golpe militar onde a Rainha do Ar foi assassinada e o terrível Harts Terian tomou o trono. Alescia e Alexander Aresto são os últimos descendentes vivos (e foragidos) da família Aresto, os verdadeiros herdeiros do Trono do Ar. Na noite em que a mãe deles foi assassinada, eles fugiram junto com seu tio para o Reino da Água, onde ficariam protegidos até poderem voltar para sua terra natal e recuperar o reino que lhes fora roubado.

A hora de voltar para casa chegou.

Mas os irmãos Aresto terão a coragem necessária para fazer o que for preciso para conseguir o reino deles de volta? 
  
Descubra na nova história: A Princesa do Ar!
  

Os capítulos serão postados semanalmente no Wattpad! Não perca! :)


Obs.: Arte da capa feita pela linda Milena Steilein.

,

Resenha: A Menina mais fria de Coldtown, por Holly Black




A Menina mais fria de Coldtown foi um livro que me surpreendeu de um jeito bom. Este foi mais um daqueles livros que eu peguei para ler sem nunca ter ouvido falar nada a respeito e, para preservar a minha opinião, não procurei na internet resenhas sobre ele. E o resultado disso foi positivo porque apesar de ser uma história em volta de um assunto que está batido, eu acabei gostando do desenrolar das coisas.

Tana é uma adolescente que acorda de ressaca em uma banheira que não é a sua, em uma casa que não é dela e descobre que ela é a única sobrevivente da festa da noite anterior. Aliás, seu ex-namorado também sobreviveu, assim como um vampiro que parece interessado em ajudá-los ao mesmo tempo em que salva a própria pele.

Os acontecimentos são relativamente rápidos e a narrativa é leve e minuciosa. As personagens são bem construídas, de forma que você realmente se interessa pelas suas vidas e pelas suas personalidades. Não são personagens sem vida apenas com um nome para dar uma razão para as cenas acontecerem, mas sim personagens reais que realmente têm algo a dizer ao leitor.

Eu diria que o livro tem uma atmosfera meio dark, meio gótica. O cenário é um mundo dividido entre humanos e vampiros. Os vampiros e os infectados - estes últimos tratados no livro como Resfriados - são caçados e levados para as Coldtowns, cidades isoladas que na verdade são fortalezas para manter tudo o que entra lá do lado de dentro, sem possibilidade de escapatória. Alguns vampiros e algumas pessoas Resfriadas vão voluntariamente para as Coldtowns em busca de uma vida normal ou de uma existência sem julgamentos ou caçadas. 

A grande questão é que humanos também podem ir para as Coldtowns se quiserem e é isso que muitos deles fazem, sonhando em um dia serem transformados em vampiros. É então que eles acabam virando bolsas de sangue ambulantes.

Aqui não temos uma protagonista irritante ou sem graça que quer desesperadamente ser mordida e amada por um vampiro. Tana só quer salvar a sua família e a si mesma, por isso sua vida acaba virando de cabeça para baixo depois daquela festa onde todos os seus amigos foram massacrados por vampiros.

A Menina mais fria de Coldtown é um livro surpreendente, com um ar de suspense e meio pós-apocalíptico. Trata-se de uma leitura agradável para quem gosta de livros do gênero vampiresco mais tradicional, com vampiros que bebem sangue humano, queimam no sol e são romantizados pela sociedade. Sem dúvida, uma leitura sem arrependimentos ;)



Coração do mundo



Forasteiro, vai. Não se preocupe com quem fica. Quem fica, fica feliz, sabendo que tua própria felicidade está nas estradas, na cavalgada infinita do desconhecido. Quem fica não ousa pedir para que você fique. Aqueles que você deixa para trás sabem que o seu coração pertence à terra e, sua vida, pertence ao mar. Sorria, forasteiro. Sorria e murmure o nome daqueles que você ama. Viva por eles, lute por eles. E, depois, volte seguro para eles. Não fique com vergonha, forasteiro, por ser quem você é. Quem o ama, ama a sua liberdade. Não se envergonhe por ser livre. Não fique triste. Abra os seus olhos e vislumbre as belezas das suas viagens. Aprenda e compreenda - você é feliz, forasteiro. Não tema a sua própria coragem - a sua coragem de partir. Seu coração não pertence à somente um lugar. Lembre-se de cada pessoa que você ensinou a sorrir, de cada pessoa que você mostrou a felicidade porque você mesmo a encontrou dentro de si. Não, forasteiro - não fique com medo. Seu coração é da terra, do ar e das águas. Seu coração é do mundo - e o mundo pertence à você.



Amor disfarçado



O amor é um grande sentimento disfarçado de pouca coisa. Uma emoção poderosa camuflada em sofrimento. Dizem que, junto com o amor, vem a dor. Discordo. A dor é para aqueles que não sabem reconhecer o amor quando ele bate na porta, cumprimentando o coração. A dor é opcional - o amor não tem escolhas. O amor é mútuo. Não é possível amar sozinho. Se este for o caso, então é porque não se tratava de amor desde o princípio.


http://4.bp.blogspot.com/-TJBaCi13RZ4/UO1rDKQxo4I/AAAAAAAABgI/IZ15Ul-YTj4/s1600/Love+Kiss+Wallpapers+(15).jpg

,

Resenha: Em Queda Livre, por Ally Carter



Assim como em Ladrões de Elite, Ally Carter é primorosa em ambientar sua história em um mundo cheio de glamour e luxo. Desta vez, não estamos em volta de obras de arte inventadas. Em Queda Livre, primeiro livro da série Segredos Diplomáticos, se passa em Adria, um país europeu onde estão instaladas embaixadas de praticamente o mundo inteiro. No centro disso, temos Grace, a narradora americana que nos transporta para uma espécie de aventura psicológica. 

Grace perdeu a mãe três anos antes e agora mora com o avô, o embaixador dos Estados Unidos em Adria. Seu pai vive viajando por ter um alto cargo no exército americano, enquanto seu irmão está estudando para trilhar o mesmo caminho. Apesar de sua vida ser algo muito próximo à da queridinha Mia (O Diário da Princesa), Grace não conseguiu superar a morte da sua mãe e sofre com ataques de pânico devido à experiência traumática que teve em relação à isso. 

A personalidade de Grace é algo interessante. Nós temos uma protagonista corajosa, mas ao mesmo tempo covarde para certas coisas, uma personagem forte, mas que é muito frágil em alguns momentos. Devido ao seu ligeiro desequilíbrio, os fatos começam a se tornar duvidosos na cabeça do leitor e fica difícil distinguir o que está acontecendo com o que supostamente está acontecendo. Gosto de livros que brincam com o seu psicológico, livros que instigam o leitor a se perguntar se tudo aquilo que está acontecendo está realmente acontecendo.

De toda a forma, as personagens são bem construídas e a narrativa é rápida, desenvolvendo-se rapidamente, tornando Em Queda Livre uma leitura fácil e agradável. 


Google+

Descontraindo

"Dar de si antes de pensar em si."
Rotary International

(Distrito 4650)

Leitores