[RESENHA] Deslembrança, por Cat Patrick

Não tenho passado. Minhas únicas lembranças estão no futuro.


SINOPSE
Toda noite, quando London Lane recosta a cabeça no travesseiro e dorme, cada mínimo detalhe do dia que viveu desaparece de sua memória. Pela manhã, restam-lhe apenas lembranças do futuro: pessoas e acontecimentos que ainda estão por vir. Para conseguir manter uma rotina minimamente normal, London escreve bilhetes para si própria e recorre à sempre fiel melhor amiga. Já acostumada a tudo isso, ela tenta encarar a perda de memória mais como uma fatalidade que como uma limitação. Mas, quando imagens perturbadoras começam a surgir em suas lembranças e London precisa, de algum modo, escapar delas, fica claro que para entender o presente e o futuro ela terá que decifrar o que ficou esquecido no passado.

Deslembranças não é um livro ruim.  A autora trabalha com uma ideia complexa e bem pensada, uma condição estranha e ao mesmo tempo fascinante que faz a protagonista se destacar das demais. Mas só vamos até aí. Ao invés de explorar todas as possibilidades dessa condição, explorar todos os lados dessa ideia genial, a autora se prende a detalhes cotidianos e opta pelo terreno seguro da vida de uma adolescente americana normal. A história toda a autora não toma caminhos mais tortuosos ou complexos que poderiam gerar uma trama intrincada e difícil de compreender, porém fascinante para o leitor. Gosto de livros difíceis, desafiadores. Gosto de livros que não me deixem largá-los. Deslembranças não foi um livro que me prendeu. Não o abandonei porque não gosto de largar livros pela metade e porque, confesso, eu tinha esperanças de que, no final, alguma reviravolta importante iria acontecer.
Bom, não é que a história seja ruim - não é. Mas quando li a sinopse e comecei a ler o livro, eu esperava mais, estava cheia de expectativas. A ideia de uma garota não ter lembranças (somente lembrar do que prevê que acontecerá no futuro) é estupenda. Deixem-me explicar: Uma garota que lembra a si mesma das roupas que usou no dia anterior com bilhetinhos escritos todas as noites para serem lidos pela manhã. Uma garota que só lembra onde mora e que tem uma mãe porque estas coisas e pessoas estão no seu futuro. Ela não lembra do namorado. Ela não lembra do seu pai. Ela não lembra os lugares aos quais foi e pessoas que visitou. Ela só lembrará se isso estiver no seu futuro, e só lembrara até acontecer. Quando acontecer, no dia seguinte, ela esquece. Por exemplo, se a mãe dela morrer, no dia seguinte, se ela não fizer um bilhete para lembrá-la disso todas as manhãs, ela irá esquecer que teve uma mãe ou o que aconteceu com ela.
Excelente ideia, não é? É meio triste que ela tenha sido mal desenvolvida, que a autora aparentemente ficou com receio de escrever algo mais complicado e se perder na narrativa. Pelo menos eu acho que foi por isso.
De novo, a história não é ruim. É legal ver o modo como a London se relaciona com sua mãe, sua melhor amiga Jamie e seu namorado, Luke. Aliás, são essas pequenas relações normais que fazem o livro ser legal. São coisas, de fato, normais, e talvez essa tenha sido a intenção da autora desde o princípio.
Mas, repito, a ideia da perda de memória é boa demais para ser usada num romancezinho assim.
Aliás, a explicação para a perda de memória dela, o coma e a "morte" dela, às 4:33, me pareceu um pouco forçada. Quer dizer, todo dia, exatamente às 4:33 da manhã, a memória de London Lane zera e recomeça com as lembranças do futuro e somente isso. E eu pensei, cheia de expectativa, que o significado do horário e tudo o mais, era muito mais cheio de complexidade do que a razão que a autora deu.
Não é um livro ruim. Talvez os diálogos não sejam os melhores do mundo, mas a história é legal. O desenvolver dela é um pouco travado também, mas isso não torna o livro totalmente ignorável. É um livro bom. Só não tão bom.
Recomendo para quem não está a fim de uma leitura pesada e transbordando emoções. Também não recomendo para quem está cheio de expectativas esperando um livro cheio de ficção científica e teorias legais (tipo, eu). É um livro mel com açúcar, pra ler numa tarde chuvosa de domingo, debaixo das cobertas.

É isso aí. Fazia tempo que eu não fazia uma resenha decente. Mas fazia tempo também que eu não conseguia terminar de ler um livro (que vergonha). A próxima resenha (espero), será de Corações de Neve. Aguardem, hoho.

Ele livra o braço que está embaixo de mim, digita rapidamente uma mensagem e a envia. Na mesma hora, o telefone vibra para me avisar que tenho uma nova mensagem de texto.
— O que diz? — pergunto quando Luke devolve o telefone à mesinha de cabeceira.
— O garoto no closet é seu namorado. Ele ama você e vai contar tudo sobre ontem à noite.

Comments
4 Responses to “[RESENHA] Deslembrança, por Cat Patrick”
  1. Geovana , says:

    Eu não sou muito boa em me concentrar .. por isso , eu tenho de gostar muuuito do livro pra ler. Mas mesmo voce dizendo que ele não é muito desafiador e sim mais leve .. eu gostei rs , acho que vou começar a ler .. ai eu vejo no que da , rs.
    Gostei de sua resenha ... e do seu blog.
    To te seguindo , um beijo .
    www.i-tudo-i-tudo.blogspot.com
    te espero lá ;)

  2. Tipo, o livro não é ruim, só que eu gosto de livros mais complexos e eu peguei esse achando que ia ser um que eu ia quebrar a cabeça e não foi bem assim x) Mas é bom, vale a pena ler :D

  3. Maay S. says:

    A capa é tão linda *O*
    Mas só pela sinopse parece algo fabuloso e intrigante. Estou cansada de me decepcionar com livros, fato.
    Procurarei algo sobre ele quando eu não tiver mais nada pra fazer.
    Mas obrigada pela dica, ela é bastante legal :D

  4. Se você não esperar muita coisa do livro, beleza. Mas se vc abrir ele com expectativas demais, vai se decepcionar bastante ;x

Leave A Comment