Resenha: Kaze No Stigma ♥

"Prepare-se. Sou egoísta e tenho desejos muito fortes."
- Kazuma para Ayano -



Cuidado. Pode conter spoiler pelo fato do anime ser tãããão legal e eu não conseguir me controlar. Desculpe.

O que tem de se melhor pra se fazer quando se é domingo, está frio que é uma coisa e está chovendo? Se enfiar debaixo das cobertas e, lógico, assistir anime. Ou filme. Ou sei lá o que você goste de assistir. Sou nerd então fico com esses japoneses fodões com lutas legais e gritos excessivos que, sim, me irritam, mas eu gosto. Então, por causa do frio e da chuva (e das minhas cobertas quentinhas), terminei de assistir Kaze No Stigma, todos os seus 24 episódios recheados com Kazuma e Ayano.

Eu já disse muita coisa no post anterior, de modo que não vou ficar me repetindo.

Mas vou dizer de novo que o Kazuma é tãããããão lindo e fodão.

Voltando, os capítulos finais (lá pelo 18 ou 19) começam a ficar muito interessantes, porque focam na história do Kazuma, no que aconteceu quatro anos antes dele voltar. Então, basicamente, temos a explicação de quem diabos é aquela garota que fica atormentando os sonhos dele nos primeiros episódios, dizendo que "não nasceu para ser comida por um demônio". As coisas também ficam bem emocionantes e cheias de ação devido a investigação que envolve Kazuma e Ayano referente ao RPG que transforma humanos normais em magos com poderes bizarros. Sim, eu adoro animes que tem lutas em todos os episódios.

O que me incomodou um pouco mais pra metade do anime foram as lutas da Ayano. Ela é a princesa Kannagi, certo. Herdeira da Enraiha, okey. É a próxima líder dos Kannagi, beleza. Então por que diabos ela fica perdendo as lutas e precisa ser salva pelo Kazuma o tempo todo?! Isso meio que irrita um pouco. Mas demois que a Katherine aparece e a desafia, FINALMENTE ela se toca e começa a ganhar. Amém. E foi tudo culpa do Kazuma, que usou aquele duelo pra treinar a Ayano.

E isso foi um spoiler, mas, é, dane-se.

O final do anime é sugestivo. É o tipo de final que pode ou não ter uma continuação. Se tivesse uma continuação (não há, porque o mangaká divo que criou Kaze No Stigma, faleceu), seria ótimo, mas como isso não foi possível, não ficou uma pendência muito absurda em relação ao anime. Kazuma e Ayano se entendem (mais ou menos, se você desconsiderar a parte que ela sai correndo atrás dele atirando fogo para todos os lados porque ele deu um tapa na bunda dela), derrotam o mal supremo (ou ele foge, para ser mais precisa *cof cof*) e vivem felizes para sempre em combate ao mal lá na mansão dos Kannagi.

De todo o modo, Kaze No Stigma é um ótimo anime, ficando entre os melhores que eu já vi, com uma boa história e um ótimo traço (y)

Cena do finalzão. Foi muito, muito, muuuito fofinha essa parte.



Comments
2 Responses to “Resenha: Kaze No Stigma ♥”
  1. Edward Elric ainda é o melhor. u.u

  2. Os dois são. É que, né, o Kazuma é tão foda. E o Ed também. Fico meio indecisa, é.

Leave A Comment