Resenha: Eu Sou O Número 4, por Pittacus Lore

- (...) Não. Não perca a esperança, ainda. Ela é a última coisa que se vai. Quando você a perde, já perdeu tudo. E quando você pensa que tudo está perdido, quando tudo é sinistro e sombrio, sempre há esperança.

página 103

A ideia central, a base de Eu Sou O Número 4, é ótima. Sou suspeita para falar porque eu adoro ficção científica e comecei a ler esse livro cheia de expectativas. Eu esperava (sim, sintam a ingenuidade) guerras intergalácticas, com naves espaciais e lasers corrosivos e muitos conflitos entre os aliens, ação e aventura ao estilo Douglas Adams. Bom, a parte dos lasers não teve. E nem das naves. E nem das batalhas épicas com espadas brilhantes. Mas tudo bem, eu supero, porque a história em si era boa. O desenvolvimento dela que lá pela metade não me agradou muito.
Eu não gostei da mocinha. É sério, eu não gostei da Sarah. A coisa das fotos me deixou irritada, é, e eu não gostei do estilo líder-de-torcida-redimida-que-se-dá-bem-com-todo-mundo-mas-tinha-um-namorado-babaca. Não engoli a mocinha de jeito nenhum e acho que o John/Quatro merecia uma personagem mais a altura para ficar com ele. Bem, a Seis apareceu, então, bem, dessa sim eu gosto.
De qualquer modo, voltando para a história, até a metade o livro me prendeu, com frases boas, trechos bons, flashbacks de Lorien que não têm no filme, uns mistérios não resolvidos, e os treinamentos dos Legados do John/Quatro são top. Em suma, o livro é bom, mas ele começa a ser meio maçante da metade pro final. Eu gosto de livros que me prendam, que façam com que eu sinta vontade de saber o final, mas ao mesmo tempo desejar que não acabe, e nesse livro eu só sentia vontade de saber o final para que o livro acabasse logo. A batalha do final que deveria ser épica, não foi assim tãaaaao épica. Eu queria explosões e lasers, como eu disse, mas talvez eu tenha pegado o livro com muita expectativa em cima dele ao invés de fazer aquela coisa de ler um livro com a mente aberta, sem expectativas para seu final ou sua história, simplesmente ler e entender o enredo.
Como eu disse antes, Eu Sou O Número Quatro não é um livro ruim e com certeza fiquei curiosa para ler O Poder dos Seis e o resto da série (y)

- (...) Não precisamos ser definidos pelas ações que fizemos ou que deixamos de fazer no passado. Algumas pessoas se deixam controlar pelo arrependimento. Talvez seja um arrependimento justo, talvez não. É só alguma coisa que aconteceu. Supere.
página 245-246


Aliás, essa é a capa do meu livro, hihi. Prefiro as originais :)

Comments
7 Responses to “Resenha: Eu Sou O Número 4, por Pittacus Lore”
  1. Tinha visto o filme antes do livro! HAHA E eu até gostei dele, embora a minha mãe (que geralmente gosta de "adaptações") não curtiu muito. Mas tudo bem. Eu fui em frente e... e... PUF! Não tive toda a sua expectativa. Eu só queria ver coisas o que filme com certeza não mostrou. E cara, MUITO CHATO! Não consegui passar nem das primeiras partes antes de "abandonar". Vi tanta gente falado que era ótimo, que comecei a pensar que eu era o problema! KKK Pelo visto não! (yn) Mas eu lerei ele um dia (um dia...). E eu espero estar bem mais "mente aberta" até lá! .-.

    PS: Essa é a capa mais linda! <3 Tudo bem, sou fã do Alex Pettyfer, mas cara, essa capa é linda! *--*

  2. Verdade, as coisas que não tem no filme são meio bobas e sem importância (tirando os flashbacks de Lorien que eu queria ter visto) e a narrativa não me atraiu, chato mesmo ):

    PS: Capa divona, fato. E não gosto da outra por causa das luzes. Odeio as luzes nas mãos dele. Tipo, lanternas? What? Daí ele vai e simplesmente confia nesse Legado e se ferra e faz besteira simplesmente porque não pensou em usar a porcaria de uma lanterna porque tinha luzes nas mãos ¬¬
    PPS: É. Tenho uma coisa com essas luzes.

  3. Achei totalmente desnecessaria aquela "mocinha" no livro, ela não serviu para nada, até mesmo Bernie Kosar (acho que esse é o nome do cachorrinho '-') era mais interessante que ela... Tirando isso até que gostei do livro, mas como você disse estava esperando por algum tipo de guerra intergaláctica e explosões sinistras.

  4. Verdade - mocinha desnecessária. Mas né, fazer o quê. Guerras intergalácticas são mais legais u.u

  5. Eu não li o livro, "infelizmente". Mas assisti o filme e fiquei feliz em ver o Alex Pettyfer =DD

    VOu ler o livro aii vou dar minha opinião.

  6. Oi,

    Você teve mais ou menos a mesma opinião que eu no fim do livro, já que começou super bem com frases como "Somos os heróis que vocês idolatram nos filmes, porém somos reais" - o que, com ou sem intenção fazem você criar certas esperanças *-* - mas do meio pra lá tudo parou O.o' Quer dizer, eu meio que levei a sério essas frasezinhas do começo - erro meu ¬¬ - e por isso me decepcionei.
    E, sobre a Sarah eu não gostei dela nem no livro nem no filme (talvez por que tenha despertado um pouco do meu ciúme com esse negócio de beijar o Alex ¬¬' - possessiva eu? rsrs')

    Como você mesma disse não achei o livro ruim só... não superou minhas expectativas. =**

    ~> Beijusss...;*

  7. Isso, no começo ele tem um encanto todo especial que me faz ficar tipo "OMG, que livro master" daí lá pro meio ele empaca. E como vc, criei expectativas e acreditei nas frasezinhas, kkkk :)

    PS: Acho que não gostei da Sarah pelo lance do ciúme também. Porque, ei, é o Alex. ALEX. Não qualquer um.

Leave A Comment