Resenha: One Foot in the Grave, Night Huntress #2, por Jeaniene Frost ♥

É óbvio que contém spoilers ¬¬

AIMEUDEUS COMO É QUE EU NÃO TINHA LIDO ISSO ANTES?!
Não acredito que esperei taaaaaanto pra ler a continuação de Halfaway to the Grave, me sinto muito, muito, mas muito idiota. Não, porque eu comecei a ler assim que terminei Halfaway to the Grave, só que eu estava em DPL e com muita raiva pela Cat ter deixado o Bones e quando eu comecei a ler, não terminei nem o primeiro capítulo e teimosamente ignorei o livro durante um bom tempo. Bem, até esses dias quando finalmente me rendi. Eu pensei, dane-se, não posso ter mais raiva do que tive no final do primeiro livro - não que eu não tenha amado, aquele final cheio de sangue e pessoas sendo decapitadas foi bem interessante, mas, bem. Vocês me entendem.
Acontece que eu gostei mais de One Foot in the Grave do que Halfway to the Grave. A história, o enredo - me fascinou mais do que no primeiro livro. No primeiro livro eu quase não dei a mínima para o desenrolar da história contanto que o Bones e a Cat ficassem juntos. Mas nesse não. Os personagens que se fixaram nesse livro se encravaram de uma maneira profunda e envolvente na história. Cada um deles - Tate , Juan, Cooper, Dave e até mesmo o tio Don - tem sua participação significativa e estou aqui humildemente torcendo para que eles - nenhum deles! - vire a casaca nos próximos livros. Que eu irei ler imediatamente, é claro, ao invés de ficar me torturando inutilmente pela continuação.
O livro começa quatro anos depois do final de Halfaway to the Grave com a Cat explicando a nova vida de agente secreta dela. Como é de se esperar da Jeaniene Frost, já no primeiro capítulo temos uma grande emoção. E no outro. E no próximo. E no casamento você quase infarta. Portanto se você estiver lendo One Foot in the Grave, vá dormir imediatamente assim que chegar numa parte calma porque ela não vai demorar muito para acabar e começar a ação e, então, você simplesmente não irá dormir e vai ficar parecendo um zumbi pela manhã. É. Pois é. Voltando ao ponto, a personalidade da Cat permanece inalterada apesar da passagem dos anos. Ela ainda continua matando vamps com vestido de seda e botas de couro e decapitando ghouls usando apenas as mãos, sim, ainda estou em estado de choque. E é, nós ainda queimamos os olhos com o palavreado dela e aprendemos que a palavra "maldição" tem mais variações do que se imagina e que "inferno" pode ser empregado de diversas maneiras diferentes numa frase aparentemente inofensiva. Doce Cat.
E o Bones, bem, o Bones é o Bones. BONES. É. Bem. Eu não tenho nem comentários. Ele é um lindo, totalmente perfeito namorado que todas nós deveríamos ter a sorte de encontrar. Afinal, ele levou um tiro na testa pela mulher que ele ama. E isso foi tipo, literalmente. E foi muito bonitinho, por sinal. Eu ia gostar de um namorado assim - sem a parte do tiro na testa porque, dã, aí ele ia estar morto e não ia mais ser meu namorado perfeito, mas enfim. Vocês entenderam o ponto.

Comments
3 Responses to “Resenha: One Foot in the Grave, Night Huntress #2, por Jeaniene Frost ♥”
  1. O começo desse livro é FANTÁSTICO! O casamento??? AHHHH EU INFARTEI LEGAAL! Cara o Bones é muito fodão! :333 Infelizmente eu parei de ler ele. Nem lembro porque! D: Um dia eu voltarei a lê-lo (parei na metade, mais ou menos). Mas o livro, pelo menos o começo, é VERY COOL!

  2. Aninha says:

    Oie!!!
    Amei este livro, tem muito mais emoção que no anterior, que nos da uma certa raiva da autora por ter separado um casal tão perfeito O.o, mas no segundo eles voltam - Ahhh!!! que felicidade! - e acontece tanta coisa... Vou começar o terceiro agora, espero que eles consigam permanecer juntos...
    Aih que pena do Tate, ele é tããão apaixonadinho pela Cat, mas infelizmente ele jamais será como Bones, porque Bones é...bom ele é O BONES!
    >>>Beijusss...

  3. PAMELLA SANTOS VOCÊ LEU ATÉ O CASAMENTO E PAROU? Sua doida, é quase o final!
    E eu quase infartei em muitas partes, tipo naquela que o Bones confessa o truque dele pra fazer a Cat ficar usando vestidos sem calcinha pra caçar vamps. MORRI de perplexidade. E o casamento só foi a coisa mais fofa e linda e... aah *-*

    Aninha, eu amo o Tate e acho que ele devia ficar comigo, rsrs. Mas é, o Bones é o Bones ♥

    Beijos meninas ;*

Leave A Comment