Resenha: O Senhor dos Anéis, A Sociedade do Anel #1, por JRR Tolkien ♥


- Estive – disse Passolargo. – Morei lá uma época, e ainda volto quando posso. Ali está meu coração; mas meu destino não é me acomodar em paz.
O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel, pg 214, JRR Tolkien

- Desespero, ou tolice? – disse Gandalf. – Desespero não, pois o desespero é para aqueles que enxergam o fim como fato consumado. Não, não. É sábio reconhecer a necessidade, quando todas as outras soluções já foram ponderadas, embora possa parecer tolice para aqueles que têm falsas esperanças.
O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel, pg 285, JRR Tolkien

Por onde eu começo? Pela magia das Terras Ermas ou pela encantadora terra dos elfos, Valfenda ou Lothlórien? Ou talvez pelo afastado e pacato Condado, onde nada muito paranormal acontece, exceto hobbits desaparecendo no meio de festas e rendendo coemntários durante cem anos? Eu não sei, mas posso dizer que Tolkien é um gênio. De Bilbo Bolseiro até Galadriel, a guardião de um dos anéis élficos, Senhora de Lothlórien, todos os personagens tem seu misticismo e a sua história misteriosa, os quais têm importância extrema para od esenvolvimento da trama. Sem as aventuras de Bilbo, ele não teria tirado o anel de Gollum, e sem os presentes de Galadriel, Frodo não ia se dar bem no fim das contas. Tudo é necessário e tudo se entrelaça de maneira incrível.
Tolkien não usa uma linguagem fácil e seu texto não é o que se pode chamar de rápido, embora o livro contenha uma série de acontecimentos diversos e não se baseie em apenas um fato relevante. Pra dizer a verdade, Frodo poderia se dar bem com o Percy Jackson em matéria de quase-morrer o tempo inteiro. De qualquer modo, a escrita de Tolkien é encantadora, embora seja exaustiva em alguns pontos, mas, como eu bem sei, quando é você quem cria o universo no qual escreve, todo detalhe é importante, da cor da água ao cheiro das flores, e tudo parece ter uma imensa necessidade de se colocar no papel. E, claro, Tolkien faz isso extremamente bem, dando uma realidade a trama e asas a imaginação. Literalmente.
Geralmente depois de ler um livro que foi adaptado para o cinema, eu abomino o trabalho cinematográfico por causa das partes cortadas e isso tudo, como aconteceu com Eragon. Foi cortada tanta coisa que, se fossem gravar hoje Eldest, eu não sei o que ele iriam fazer para transformar os fatos importantes que aconteceram em Eragon (e não passou no filme) em algo relevante no filme Eldest. Assim como será com O Mar de Monstros, do Percy Jackson. No filme O Ladrão de Raios não passa absolutamente nada sobre Cronos e a idade dele é bem mais avançada do que no livro. Tanto faz. Com O Senhor dos Anéis, não foi assim. Pelo contrário: do jeito que o filme foi comprido, fiquei bem feliz de ver tantos elementos do livro no enredo do filme, os cenários principalmente, como na parte mais para o final, quando Aragorn leva a Sociedade para a terra de Isildur e tem aquelas duas enormes estátuas de pedra dos antigos reis com uma das mãos levantadas e a fenda minúscula para se passar com o barco. Bem, eu amei essa imagem no filme e fiquei bem contente de ver que ela realmente estava no livro. Também fiquei feliz de saber que a parte das minas de Moria, quando o balrog ataca a Sociedade e eles tem que passar na ponte. Mano, essa parte no filme me fez ficar 'OWN' o tempo inteiro porque, primeiro, o Gandalf quebra a ponte para evitar que o Boromir lindo! :x e o Aragorn mais lindo ainda! :xx fiquem ao lado dele para a morte iminente e depois, quando ele tenta, você sabe, voltar, o balrog usa o chicote dele e agarra as pernas do Gandalf e aí ele fica pendurado e ele olha para a Sociedade e diz: "Corram, seus tolos!" Aliás, essa frase faz parte do desafio da Julis, Questionário Aleatório que eu bem esqueci de enviar o email pra ela com as respostas ¬¬ eu tinha um monte de nomes pra citar na questão de 'cite 10 maridos de Juliana Arruda' x}. Aí fico "PQP O GANDALF MORREU?! COMO ASSIM, MANO?!" E como essa é a minha parte preferida do filme (não porque o Gandalf morre, porque eu amo o Gandalf que nem eu amo o Dumbledore, mas porque é a parte mais linda do filme), fiquei muito feliz mesmo de saber que tem no livro EXATAMENTE como está no filme. Sabe, assim a cena não perde a veracidade e a magia.
No livro podemos perceber melhor como é a força maligna e irresistível do Um Anel, e então nós não ficamos "Mas que idiota!" toda vez que o Frodo coloca ele. Bem, certo, eu xinguei mentalmente ele de idiota algumas vezes por causa disso enquanto lia, principalmente no final, na parte com o Boromir. Mas, bem, eu fiquei pensando que eu faria o mesmo se um cara com o dobro da minha altura viesse e simplesmente quisesse me atacar. Sabe como é, se eu supostamente tivesse um anel de invisibilidade. Maligno e que provavelmente destruiria o mundo, sim, mas pelo menos eu ia ficar invisivel e o cara com o dobro da minha altura não ia me esmagar.
De qualquer modo, no livro consegui entender melhor também o que aconteceu com o Frodo quando ele foi atacado com uma faca do Cavaleiro Negro e o veneno começou a agir no corpo dele, na, suponho, segunda ou terceira quase-morte dele. Tipo, mano, ele enxerga melhor no escuro por causa disso, que medonho. E, cara, no filme fazem parecer que ele é novinho, mas, na verdade, ele tem cinquenta anos. E, também, no filme a Arwen tem uma participação maior do que tem no primeiro livro. O romance dela com o Aragorn fica meio evasivo, dando apenas sugestões. E tem um momento que ele lembra dela mais para a reta final do livro que eu achei muito lindo *-* Tá, o Aragorn é todo divo, então tanto faz.
Deixa eu dizer, os elfos ganharam meu coração quando eu assisti A Sociedade do Anel pela primeira vez. Sério. O Legolas é simplesmente o maior elfo da história (com exceção do Elrond, que eu também sou totalmente louca), com todas as suas frases e seu arco e flecha e pontaria perfeita. Mas o que eu mais acho legal é a amizade dele com o Gimli, o anão. Duas criaturas de povos que se odeiam criando uma amizade forte desse tipo é bem legal.  O Boromir me irrita um pouco com todo o discurso sobre "Nós, de Gondor...", mas eu gosto dele. Não mais do que eu gosto do Aragorn, óbvio. O Aragorn tem uma história que eu particularmente adoro. Filho de rei e andando como um mendigo, ama uma imortal, luta em busca do seu trono há muito perdido, você sabe, é bem legal ter um personagem desse jeito sobre o qual escrever. Já os hobbits, mesmo não tendo histórias de vida tão complexas, são uma coisa a parte. O Pippin é um reclamão, o Merry parece dono da sabedoria hobbit e o Sam, nos momentos mais inesperados, se mostra tão inteligente quando, sei lá, o Aragorn. Mas admito que o Merry e o Pippin são bem mais legais no filme. E não é só porque eu adoro o ator que faz um deles, o Charlie do LOST. Mas os dois são tão engraçadinhos no filme que eu fiquei meio que esperando que fosse assim no livro também.
Pra finalizar, senão eu fico aqui falando sobre O Senhor dos Anéis até descobrir que a postagem tem um número de caracteres que não pode ser ultrapassado, Tolkien é genial e O Senhor dos Anéis, A Sociedade do Anel, é um livro fantástico o qual todas as pessoas deveriam ler. De verdade.

- Desonesto é aquele que diz adeus quando a estrada escurece – disse Gimli.
- Talvez – disse Elrond -, mas não jure que caminhará no escuro aquele que não viu o cair da noite.
O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel, pg 298, JRR Tolkien

Por um momento, ficou parado como se sua própria praga o tivesse atingido; depois, de repente, começou a chorar.
Levantou-se passando a mão nos olhos, limpando as lágrimas. – O que eu disse? – gritou ele. – O que eu fiz? Frodo, Frodo! – chamou ele. – Volte! Uma loucura tomou conta de mim, mas já passou. Volte!
O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel, pg 426, JRR Tolkien

Comments
3 Responses to “Resenha: O Senhor dos Anéis, A Sociedade do Anel #1, por JRR Tolkien ♥”
  1. Aeee!!!! *-*
    Finalmente uma postagem que tenho o "orguio" de responder *o*
    Concordo plenamente que Senhor dos Anéis é perfect... Em todos os gêneros. E a cena do "Corram seus tolos." está na minha lista de "Cenas top". Tipo assim... Ocupando o primeiro lugar *-*
    E se você acha o Las o maior elfo da história, imagine até conhecer os filhos gêmeos do Elrond, mais especificamente Elladan e Elrohir... 8D (O Silmarilion, que a lesada aqui ainda não conseguiu terminar de ler porque algum idiota sempre tira o marcador de página e aí toca eu começar de novo)
    E Gandalf é melhor que Dumbledore na minha opinião... Mas, caso à parte... xD
    Enfim, continue lendo a trilogia porque VALE A PENA! Só não termminei de reler ainda porque o monstro chamado Vestibular me chama (E mais um romance com Dirk Pitt, Crônicas de Gelo e Fogo, Sobrenatural, Ramsés, livros que sigo na net... =P)
    Abraços!

  2. Ai, depois dessa eu nem ouso parar de ler a trilogia do Tolkien e os outros livros *-* bjs, Tenshi ;*

  3. adorei a resenha. parabéns.

Leave A Comment