Resenha: Darkfever, Série Fever, Karen M. Moning

O livro começa meio morno. Na verdade, ele continua morno mesmo quando esquenta por causa do intervalo grande demais entre os acontecimentos significativos. É meio irritante o modo como a autora as vezes discerta sobre algo que não tem importância nenhuma (como o guarda-roupa cor-de-rosa da Mac). Mas as coisas melhoram de um jeito que não seria esperado. O que eu esperei foi me entediar tanto à ponto de largar o livro e o que aconteceu foi justamente o contrário. Darkfever é cheio de personagens peculiares. A transformação da Mac de Barbie para Null é perceptível e não aquela coisa enganosa de sinopses de livros onde dizem que a personagem vai ter uma grande mudança e, quando lemos o livro, vemos que a coisa foi aumentada uma porção de vezes. 

Não. 

Jericho Barrons teve um efeito realmente impactante em MacKayla Lane, ao ponto de fazê-la virar uma quase guerreira da noite. Mas, caramba, se ele, o Barrons lindo, lindo, lindo, não mudasse nossa Mac, acredito que ninguém o faria. Espera. Acho que o V'Lane faria isso. "De joelhos, humana". Oh God. Acho que gosto um pouco do vilão /medo. Enfim. Barrons redefiniu o conceito 'mocinho', pois ele definitivamente não é um princípe. Ele dificilmente é um plebeu, também, com suas roupas caras e elegância. Está mais para "Morra, senhorita Lane." e isso, deixa eu falar, é bem legal. Cansei desses mocinhos que morrem de amores pela mocinha e tudo fica tão clichê que dá vontade de jogar o livro pela janela. A mocinha também não me deixou tão irritada. Sim, Mac tem seus momentos de perguntas intermináveis onde eu quase morro porque odeio quando o personagem começa fazer perguntas estúpidas a si mesmo durante uma narrativa. Do tipo: "Será possível que isso aconteça? Ele realmente seria capaz disso?". E eu sei que isso é inevitável às vez, oi, eu escrevo. Mas tinha perguntas demais em Darkfever. Mas tudo bem, superei isso e continuei lendo. Digamos que a Mac não precisa de uma homem pra ficar salvando ela o tempo inteiro. Ela vai à luta e dá a cara à tapa pra achar o assassino da sua irmã. Tudo isso de salto alto, meu amor, mantendo a compostura até em situações vergonhosas e perigosas. Quando o V'Lane está por perto, para ser mais precisa. O interessante (ou irritante, defina você mesmo) é o modo como a Mac permanece fiel à irmã, buscando sua vingança, mesmo quandod escobre que tudo o que elafez foi omitir fatos tão importantes como a existência de todo o tipo de criaturas demoníacas que poderiam muito bem bater na porta da casa dela dizendo "E aí, Null?". Ela até que aceitou tudo isso com classe. Eu meio que teria surtado, você sabe, se em um universo paralelo existisse esse tipo de coisa e meu eu existente nesse unvierso paralelo passasse por essa situação. Você sabe, esse tipo de coisa.

Vou ser direta e imparcial: Darkfever me seduziu o suficiente para me fazer ter vontade de ler o próximo livro, embora minhas expectativas estejam em alta e eu espero que sejam atendidas. Você sabe, espero que a história melhore e o Barrons resolva se rum pouco menos anti-social, porque eu concordo com minhas coleguinhas - falta romance no livro. E eu não estou definindo como romance a parte do V'Lane. Nops. Estou falando de pernas bambas e coração disparado e não pornografia em lugares públicos.


Sinopse

A vida de MacKayla Lane é boa. Tem grandes amigos, um trabalho decente e um automóvel que se avaria a cada poucas semanas. Em outros termos, é uma mulher absolutamente normal do século XXI. Ou isso é o que pensava… até que ocorreu algo extraordinário. Quando sua irmã é assassinada, deixando somente uma pista sobre sua morte (uma mensagem enigmatica no telefone celular de Mac), esta viaja a Irlanda em busca de respostas. A busca para encontrar ao assassino de sua irmã a leva a um escuro reino onde nada é o que parece, onde o bem e o mal usam a mesma máscara perigosamente sedutora. Mac se enfrenta logo com um desafio ainda maior: permanecer viva o suficiente para aprender como dirigir um poder que não tinha idéia que posuía, um dom que lhe permite ver mais à frente do mundo do homem para o perigoso reino dos Fae... Enquanto Mac mergulha mais profundamente no mistério da morte de sua irmã, cada um de seus movimentos é seguido e vigiado pelo sombrio e misterioso Jericho, um homem sem passado e desdenhoso do futuro.
Quando começa a aproximar-se da verdade, o desumano V´Lane, um Fae alfa que transforma o sexo num vício para as mulheres humanas, a rodeia. A medida que a fronteira entre os dois mundos começam a desmoronar-se, a verdadeira missão de Mac se volta clara: encontrar ao misterioso Sinsar Dubh antes que alguém mais reclame o poderoso Livro Escuro, pois quem quer que o obtenha primeiro terá nada menos que o controle completo da estrutura de ambos os mundos em suas mãos...

Comments
4 Responses to “Resenha: Darkfever, Série Fever, Karen M. Moning”
  1. Barron ♥♥♥♥
    Esse é apenas o começo da série Fever. Ainda tem MUITA coisa pra acontecer e com certeza muitos mistérios para deixar as pessoas sem ar e totalmente viciada! [AAAAAAAAAAA]

  2. [AA] Barrons é um lindo!
    Pelas resenhas que eu li (não resisti!) a coisa melhora bastante. Super ansiosa pra descobrir o que é o Barrons *-* [aaa] Viciei, fato.

    bjs ;*

  3. Oi, (:

    Você me convenceu! \o/ rs

    Gostei da resenha e fiquei curiosa agora. Estou meio nessa de gostar mais dos mocinhos que não são exatamente heróis então, esse parece se encaixar. XD

    Fiquei com um pé atrás pelo fato de faltar romance, mas acho que pelo que você descreveu a história vale a pena e, bom, só é o primeiro: tudo tende a melhorar -sim, sou positiva =P- Com certeza vou ler, mas antes tenho que terminar "Cidade de Vidro" *--* Amando a história aqui, você tinha completa razão ^^

    ~> Beijusss...;*

  4. Oi :)
    É meio frustrante no começo, mas depois melhora bastante. A história e o suspense compensam a falta de romance.
    E a última cena do Barrons no livro é IMPAGÁVEL.

    Ain, eu falei! Os Instrumentos Mortais é minha série preferida de livros ♥ Tem tudo que é necessário: romance, mistério, ação, mais mistério, mais ação e mais romance...

    Beeijos ;*

Leave A Comment